Votos do utilizador: 4 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela inativa
 

Eliminar a 2ª Divisão Distrital e alterações no modelo competitivo
Num trabalho que se tem de louvar da Comissão de Estudo para o Futsal na AF Porto, foi apresentado esta quinta-feira no Auditório da AF Porto que esteve muito preenchido, o Plano Estratégico para o Futsal na AF Porto que incidiu nos quadros competitivos nos mais diversos Campeonatos Distritais.

Neste primeiro artigo sobre os quadros competitivos indicaremos apenas o que é relativo aos campeonatos seniores masculinos, posteriormente iremos apresentar os restantes modelos competitivos, tanto para o feminino como para a formação.
Primeiro damos a conhecer o modelo competitivo apresentado pela comissão de estudo que irá ser alvo de discussão e futuramente tal como os outros géneros e escalões, serão apresentados e votados em Assembleia-geral.

Os seniores passarão de quatro para três Divisões que terão estas denominações:
* Divisão D’Elite Pró Nacional 

* Divisão de Honra
* 1ª Divisão

OBRIGATORIEDADE DE FORMAÇÃO NAS SEGUINTES DIVISÕES SENIORES:
* Divisão D’Elite Pró Nacional – 2 Equipas de formação sendo que uma terá de ser dos escalões Júnior “A”, Júnior “B” e Júnior “C”.

* Divisão de Honra – 1 Equipa de formação entre os escalões Júnior “A”, Júnior “B” e Júnior “C”.

TEMPO DE JOGO:
* Divisão D’Elite Pró Nacional – 40 minutos cronometrados (20+20)

* Divisão de Honra – 50 minutos tempo corrido (25+25)
* 1ª Divisão – 50 minutos tempo corrido (25+25)

QUADROS COMPETITIVOS – DIVISÃO D’ELITE PRÓ NACIONAL
1ª FASE REGULAR:
Número de equipas: 14

Jornadas: 26 (13+13)
Jogos por jornada: 7
2ª FASE Play-off: (8 Equipas) do 1º ao 8º da 1ª Fase
Quartos-de-final (à maior de 3)
Confronto 1: 1º Classificado Vs 8º Classificado:

Confronto 2: 2º Classificado Vs 7º Classificado:
Confronto 3: 3º Classificado Vs 6º Classificado:
Confronto 4: 4º Classificado Vs 5º Classificado:
Meias-finais (à maior de 3)
Confronto 5: Vencedor do Confronto 1 Vs Vencedor do Confronto 4:

Confronto 6: Vencedor do Confronto 2 Vs Vencedor do Confronto 3:
FINAL (à maior de 3)
Confronto 7: Vencedor do Confronto 5 Vs Vencedor do Confronto 6:

Sobe ao Campeonato Nacional: Campeão
2ª FASE MANUTENÇÃO E DESCIDA:
Número de equipas: (6 Equipas) do 9º ao 14º da 1ª Fase

Iniciam esta fase com 50% dos pontos alcançados na 1ª Fase.
Jornadas: 10 (5+5)

Jogos por jornada: 3
Descem à Divisão de Honra: 3 últimos classificados.

QUADROS COMPETITIVOS – DIVISÃO DE HONRA
1ª FASE REGULAR:
Número de equipas: 14

Jornadas: 26 (13+13)
Jogos por jornada: 7
2ª FASE DE CAMPEÃO:
Número de equipas: (6 Equipas) do 1º ao 6º da 1ª Fase

Iniciam esta fase com 50% dos pontos alcançados na 1ª Fase.
Jornadas: 10 (5+5)

Jogos por jornada: 3
Sobe à Divisão D’Elite Pro Nacional: Campeão.
2ª FASE MANUTENÇÃO/DESCIDA:
Número de equipas: (8 Equipas) do 7º ao 14º da 1ª Fase

Iniciam esta fase com 50% dos pontos alcançados na 1ª Fase.
Jornadas: 14 (7+7)

Jogos por jornada: 4
Descem à 1 Divisão: 4 últimos classificados.

QUADROS COMPETITIVOS – 1ª DIVISÃO
1ª FASE REGULAR:
Número de equipas: ????

Número de equipas por série: 12 Equipas
Total de Séries: ????
Jornadas: 22 (11+11)
Jogos por jornada: 6
2ª FASE DE CAMPEÃO:
Número de equipas: (6 Equipas) Os 1ºs classificados de cada série mais o/ou os melhores segundos.

Jornadas: 10 (5+5)
Jogos por jornada: 3
Sobe à Divisão de Honra: o Campeão mais as equipas necessárias para completar o número de catorze da Divisão de Honra.
2ª FASE DAS RESTANTES EQUIPAS: Aguarda-se mais informação

O nosso comentário:
Segundo o relatório apresentado pela Comissão de Estudo e que poderá ser melhorado, encontramos alguma lacunas que podem vir a ser melhoradas e/ou rectificadas.

Começamos pela Divisão de Honra, salta à vista que a Divisão de Honra está a ser duplamente sacrificada, sei que não é fácil, até porque o Campeonato Distrital Feminino e de Formação Pró Nacionais, vão passar a ser cronometrados, e a falta de árbitros de mesa (vulgo Cronometristas) não abundam. Como o quadro de árbitro é reduzido para o número de jogos semanais que são realizados, concordo com a afirmação “de que não é possível manter o tempo cronometrado na Divisão de Honra no panorama apresentado, por vir a ter mais jogos cronometrados dos que os que temos actualmente”.
Não concordo que se venham dizer que a maior parte dos jogos actuais da Divisão de Honra que a sua maioria não tem cronometrista, para se justificar a retirada de cronometristas nos jogos da Divisão de Honra, porque essa afirmação não é real, basta verificar as nomeações que são feitas todas as semanas para todos os jogos da Divisão de Honra. 
Sabemos que num ou noutro jogo não existe cronometrista porque quem estava nomeado não pode comparecer à última hora ou uma avaria no cronómetro do pavilhão impede a utilização do mesmo e então muitas vezes opta-se pelo cronómetro manual ou pelo tempo corrido de trinta e cinco minutos cada parte, mas isto acontece tanto na Honra como na Divisão D’Elite.
Tendo em conta uma transformação do tempo cronometrado para o tempo corrido, deveria ter sido proposto um meio-termo, a primeira fase com tempo corrido (25+25 ou mesmo 30+30) e a Segunda Fase de Campeão ter tempo cronometrado, pela simples razão que é idêntica às equipas que disputam as divisões Pró Nacional, para que as equipas que vão subir para campeonatos cronometrados se ambientarem ao mesmo.
Ainda na Divisão de Honra, actualmente existem cinco equipas sem formação e pode haver mais uma ou duas equipas que estão a lutar para a subida de divisão, ou seja metade das equipas na próxima época podem não ter formação, e obrigar as mesmas de uma época para a outra ter formação sem que exista nos regulamentos atuais uma obrigatoriedade de ter formação para subir à Divisão D’Elite, penso que não seja sensato, não haver um período transitório de duas ou três épocas.
A outra razão que não entendo é a obrigatoriedade de na Divisão de Honra ter um dos três escalões entre Júnior “A” e Júnior “C”, quando penso que seria correto, após o período transitório obrigassem a ter uma equipa de formação de qualquer escalão competitivo, de Júnior “A” a Júnior “E”.

Quanto à Divisão D’Elite, é aceitável que se obrigue desde já, e que fique regulamentado a obrigatoriedade de ter pelo menos uma equipa de formação entre o Escalão Júnior “A” e Júnior “D”.
Solicitar duas equipas e uma delas entre Júnior “A” e Júnior “C”, é ir muito mais além do que é solicitado no Regulamento de Competições da II Divisão Nacional.
Segundo o Regulamento do Campeonato da 2ª Divisão Nacional 2017/18, para uma equipa participar no primeiro ano no Nacional teria de ter pelo menos uma equipa de formação que disputasse na época anterior nos campeonatos distritais ou nacionais entre os escalões júnior “A” e “D” e passo a dar o exemplo:
A Equipa “X” foi campeão Distrital Pró Nacional nesta época 2017/18 e vai participar em 2018/19 na II Divisão Nacional, para poder participar no mesmo teria que ter em 2017/18 uma equipa de formação entre Júnior “A” e Júnior “D”.
A Equipa “X” na época 2018/19, conseguiu a manutenção e vai voltar a participar na II Divisão Nacional na época 2019/20, para o poder fazer teria de ter na época 2018/19 no mínimo uma equipa Júnior “A” ou Júnior “B”, podendo até manter a equipa Júnior “D”, mas teria forçosamente teria de ter um dos escalões, Júnior “A” ou “B”.
A Equipa “X” na época 2019/20, conseguiu manter-se e vai voltar a participar na II Divisão Nacional na época 2020/21, para o poder fazer teria de ter na época 2019/20, no mínimo duas equipas de formação, uma Júnior “A” e outra Júnior “B”, podendo ter até mais escalões mas estes dois são obrigatórios e terá de os manter enquanto permanecer no Nacional.

Ou seja o que a comissão solícita é mais do que é pedido para a subida ao Nacional, que reconhecendo que é necessário cada equipa sénior seja em que divisão for ser obrigatório no mínimo ter um escalão de formação (mas para as restantes divisões tem de ser transitório), não se pode pedir mais do que os regulamentos dos nacionais pedem.
Relativamente à 1ª Divisão enquanto não obtivermos todas as informações necessárias não nos pronunciaremos, mas o fim da 2ª Divisão Distrital é uma certeza.
Ainda em relação à Taça Sénior as informações ainda não são muitos até porque não sabendo o que acontecerá na 1ª Divisão às equipas que não se apurarem para a Fase de Campeão será sempre descabido dizer seja o que for sobre estas duas competições.

Não possuí direitos para inserir comentários

Futsal Porto Distrital

Copyright © 2016. All Rights Reserved.