Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Deu empate num jogo que qualquer um podia vencer
Á procura de amealhar o máximo de pontos possível nesta primeira fase do campeonato, o Desportivo da Ordem recebeu o colosso Póvoa Futsal, registando uma igualdade a três bolas, num jogo com várias incidências.

Ainda sem poder contar com os influentes Ricardo Careca, Rafa Afonso e Mário Barbosa, os comandados de Miguel Pereira tiveram uma entrada forte no jogo.
Aos quatro minutos, Miguel Tomás fez brilhar Tasaka O guardião de trinta e três anos, que já passou pelo escalão máximo ao serviço do Modicus, era o grande responsável pela baliza poveira continuar salvaguardada.
Com o passar do tempo, o encontro foi ficando dividido e não faltaram oportunidades para abrir o marcador.
Entretanto, Edgar entrou e também fez notar a sua presença em campo. Porém, após os dez minutos iniciais, a formação liderada pelo brasileiro André Crud, em várias transições, obrigou Carlos Rocha a muito trabalho. E foi precisamente num momento em que os azuis da Póvoa de Varzim estavam por cima que o Desportivo da Ordem marcou. Magnifica assistência de Manu para André Martins fuzilar o guarda-redes com um verdadeiro tiro.
Motivados pelo tento que dava vantagem, os da casa não tardaram a carregar no intuito de chegar ao 2-0. No entanto, seriam os visitantes a chegar á igualdade.
Bom trabalho de Miguel a contemporizar para Diogo Rodrigues atirar sem hipóteses de defesa. Após o empate, o camisola quatro dos forasteiros continuou a ser protagonista de vários remates perigosos. Ainda assim, a cerca de vinte segundos do intervalo, Edgar, após um bom trabalho individual, vai colocar a Ordem na frente, com um golo de antologia.
No começo da segunda parte, nota para uma bomba de Fuka, correspondida por uma brilhante defesa. Começava a noite de terror para Carlos Rocha, ele que defendia tudo o que podia para manter o resultado positivo para a Ordem. À passagem dos vinte e seis minutos, Miguel levou tudo à frente numa jogada de grande nível e assistiu Daniel para o 2-2. Os locais queriam mudar o cenário e volvidos dois minutos, André tirou dois contrários do caminho e colocou o esférico à boca da baliza, mas Edgar não conseguiu atinar com as redes. Do outro lado, Carlos Rocha ida chegando para as encomendas, com defesas impossíveis. Mais tarde, aos trinta e cinco minutos, após uma reposição lateral, Miguel Tomás remata forte para defesa incompleta de Tasaka, a dupla de juízes entende que o esférico ultrapassou a linha de baliza e deu a sinalética a validar o golo. A resposta surgiu de imediato, Paulo disparou para intervenção aparatosa de Carlos. Instantes depois, numa jogada de três para um, Romeu teve tudo para fazer o 4-2. Só que a menos de dois minutos do fim, os contrários vão restabelecer a igualdade a jogar em 5x4, com guarda-redes avançado. O jovem Carlos Santas apareceu na pequena área a confirmar o 3-3. O jogo ainda não tinha a história definitivamente contada porque a uns escassos cinco segundos do fim, André Martins só não fez o golo do ano porque o ferro assim evitou. Empate em jogo de candidatos onde a vitória podia ter recaído para qualquer uma das formações.
FICHA DE JOGO
Jogo: CCD Ordem Vs Póvoa Futsal C.: 3-3
Local: Pavilhão CCD Ordem, em Lousada. 220 espetadores.
Ao intervalo: 2-1. 

Marcha do marcador:
1-0: André Martins (12’);
1-1: Diogo Rodrigues (15’);
2-1: Edgar Santos (19’);
2-2: Dani (26’);
3-2: Miguel Tomás (35’);
3-3: Carlos Santas (38’);

CCD ORDEM:
Cinco Inicial: Carlos Rocha, Huguinho, Ricardo Rocha, Miguel Tomás e Romeu.
Substitutos: Manu, Edgar Santos, Pedro Costa, André Martins e Hugo Silva.
Treinador: Miguel Pereira.

PÓVOA FUTSAL CLUBE:
Cinco Inicial: Daniel Tasaka, Diogo Rodrigues, Daniel, Fuka e Miguel.
Substitutos: Paulo, Carlos Santas, Renato, Jorge Novo, Brioso e Fábio Rocha.
Treinador: André Crud.