Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Alguns desequilíbrios na jornada inaugural
Resultados dilatados aconteceram na jornada inaugural nas duas séries, com o Boavista FC na Série 1 e AM Granja na Série 2 a golearem fora de portas.

Nestes seis confrontos o resultado menos desnivelado aconteceu na Póvoa com o Arreigada a sofrer uma derrota por 3-1, os restantes encontros foram diferenças de três ou mais golos.
Começando pela Série 2, duas vitórias caseiras e uma fora de portas numa jornada inaugural onde todas as equipas marcaram.
Começamos pela vitória fora de portas, uma vitória robusta (1-7) do AM Granja na curta viagem a Rio Tinto para defrontar o Mosteiro FC.
Um jogo entre o terceiro classificado da época passada e o vice-campeão que chegou longe na primeira Taça Nacional, e não se contava que este jogo fosse tão desequilibrado tendo em conta os quatro jogos que realizaram na época passada onde foram muito equilibrados, no entanto nestes escalões tudo pode mudar de uma época para a outra, mas fiquemos com as declarações de Pedro Sousa, treinador do AM Granja:
Primeiro jogo do campeonato e todos sabemos que os índices de ansiedade estão mais altos e nunca sabemos como os atletas vão conviver com isso durante a partida. Em relação a este jogo, encaramos o mesmo com toda a responsabilidade e seriedade, queríamos começar bem e a equipa correspondeu na sua plenitude e onde todos os jogadores tiveram oportunidade de mostrar o seu futsal.
Embora ainda com pouco tempo de trabalho, já começam a interiorizar e a por em prática as nossas ideias e isso reflectiu-se em campo e no resultado, daí todos os jogadores estarem de parabéns.
Uma palavra de apreço para o Mosteiro que se bateu sempre bem de igual para igual, nunca baixando os braços e lutando pela bola e resultado até ao último momento.


O Póvoa Futsal Clube iniciou o campeonato em casa na receção ao GDCR Escolas de Arreigada e entrou com o pé direito ao vencer por 3-1 o clube pacense.
No entanto apesar da clara superioridade dos poveiros o jogo não foi fácil já que o golo não aparecia e o Arreigada começou a acreditar e o nulo ao intervalo era o resultado.
Tal como entrara na primeira parte a esquipa da casa continuava a pressionar e alcançou o desejado golo por Henrique Mota. Apesar da vantagem o Póvoa Futsal manteve a pressão sobre o Arreigada e alcançam o segundo golo pelo recém entrado Diogo Viana. Este golo ditou de certo modo o desfecho do jogo, já que na entrada dos últimos cinco minutos os pacenses reduzem e voltam a entrar na discussão do resultado, que só viria a terminar no último minuto com Henrique Mota a bisar e a matar o jogo.
Paulo Portela treinador poveiro, falou assim do jogo, “Finalmente regressamos à competição, nesta época de mudança no escalão de iniciados no clube. Em relação ao jogo, entramos como nos competia a jogar no nosso reduto, a assumir o jogo e a criar bastantes ocasiões de finalização. Praticamos um bom futsal, imprimindo ao jogo um ritmo por nós desejado, mas pecamos muito na finalização e com isto descaímos um pouco, não só por mérito do adversário como também por nosso demérito. Apesar de assumirmos o jogo o golo não aparecia e não apareceu durante a primeira parte. O nulo ao intervalo penalizava-nos no ataque mas também não caímos no jogo do Arreigado, onde jogava de uma forma de aproveitamento dos nossos erros, no entanto não foram de monta que coloca-se em causa a nossa superioridade.
Entramos para a segunda parte e conseguimos o desejado golo que nos tranquilizou e mais tranquilos ficamos, assim que chegamos ao segundo. A cinco minutos do final da partida sofremos um golo, no entanto reagimos bem que confundimos o adversário e chegamos ao terceiro golo no último minuto da partida.
Antes finalizar, quero dar os parabéns à minha equipa técnica e atletas do Póvoa Futsal que comigo trabalham, vai para dois meses e neste primeiro jogo já foi possível ver em campo todo o trabalho efectuado.
Por fim uma palavra de apreço ao Arreigada que chegou a esta divisão nesta época, que lutou e colaborou para um bom e emocionante espectáculo no Pavilhão da Póvoa de Varzim”.


No outro jogo desta Série 2 o Arsenal C. Parada recebeu e venceu a JD Gondomar por 4-1.

Na Série 1 as equipas derrotadas ficaram em branco e perderam por números desnivelados, a começar pela receção da JD Gaia ao Boavista FC, onde o clube portuense alcançou o resultado mais desequilibrado na jornada ao vencer por 0-8.
Um jogo que o Boavista assumiu o jogo desde o início e chega ao intervalo a vencer por 0-4, dividindo assim os golos pelas duas parte, num jogo que o s gaienses por duas vezes colocou em perigo a baliza boavisteira.
Os golos boavisteiros foram alcançados por apenas três jogadores, Cavaleiro foi autor de quatro golos, Nuno marcou por três vezes e Gongas por uma vez.
Francisco Peixoto treinador do Boavista FC, falou assim deste encontro:
“Foi um jogo de início de época onde as duas equipas procuram a forma ideal para o modelo de jogo que querem fazer durante o campeonato.
Esta vitória marca o princípio e não o fim, todos temos de crescer e melhorar.
Parabéns às duas equipas pela entrega ao jogo e pela correcção do mesmo.”

Quem entrou a vencer foi a Escola DC Gondomar ao derrotar em sua casa os vizinhos do FCU Pinheirense.

Numa primeira parte equilibrada com alguma ascendência da Escola, mas que foi equilibrada pelo guarda-redes do Pinheirense que foi adiando o golo enquanto pode e por isso mesmo só um golo foi marcado na primeira parte e por Bruno Santos.
Na segunda parte o Pinheirense entrou forte mas seria a equipa da casa a alcançar o segundo por intermédio de Rodrigo Silva. Este segundo golo alterou o jogo e a equipa da casa passou a controlar o jogo e a impor o ritmo do jogo e foi com alguma naturalidade que Rui Moreira e Jorge Nogueira ampliaram a avantagem.
Diogo Silva treinador da Escola DC Gondomar disse:
Foi um jogo típico de primeira jornada, equipas ainda com um ritmo baixo, com processo ainda não muito bem definidos mas com vontade de mostrar as suas mais-valias.
A vantagem mínima ao intervalo era justa devido ao nosso maior número de oportunidades apesar do equilíbrio. Na segunda parte depois de um entrada que o Pinheirense foi melhor, mas após o nosso segundo golo, controlamos o jogo e conseguimos três importantes pontos, começando assim de melhor forma o campeonato.


No jogo que acompanhamos in loco, o ADCR Caxinas veio à Senhora da Hora vencer por 0-3, num jogo de início de época com alguns erros de parte a parte no entanto houve o querer das duas equipas em mostrar bom futsal. O Matosinhos Futsal foi uma equipa azarada que viu dois dos seus atletas terem necessidade de tratamento hospitalar, mas não foi por este motivo que perderam, mas sim porque o Caxinas aproveitou melhor as oportunidades criadas.
Fique com o resumo do jogo e pode ler a seguir as declarações dos dois treinadores.

Declarações Nuno Póvoa, treinador do Matosinhos Futsal C.:
Jogo que se esperava de exigência máxima, começamos por sofrer o primeiro golo no primeiro minuto de jogo. A verdade é que não acusamos o golo sofrido e fomos capazes de equilibrar o jogo, desperdiçando algumas oportunidades para finalizar. Apesar de terem visto sair por lesão (e necessidade de assistência hospitalar) dois colegas de equipa, os nossos atletas foram de uma resiliência e entrega ao jogo extraordinária.
Num jogo equilibrado onde mantivemos o nosso carácter e os princípios que no norteiam, acabamos por sair injustamente penalizados por um resultado que não reflecte o que se passou em campo. Alguns erros nossos, aliados à qualidade e eficácia do nosso adversário, acabaram por ditar o resultado final, num grande jogo de futsal. Parabéns ao Caxinas pela vitória.

Declarações Nuno Guimarães, treinador do ADCR Caxinas:
Foi um jogo muito equilibrado onde considero que a nossa vitória é justa, no entanto por números exagerados. Julgo que os três a zero não reflecte o equilíbrio em campo, Sendo este o primeiro jogo do campeonato, era importante começarmos bem e com uma vitória.
O primeiro objectivo foi alcançado, mas não considero que a nossa exibição tenha sido muito positiva. Muito por mérito da equipa do Matosinhos que jogou de forma destemida, pressionante, dividindo sempre o jogo e não acusando o golo sofrido nos primeiros segundos.
Parabéns aos atletas do Matosinhos Futsal e à sua equipa técnica por isso.
Quanto a nós, temos a consciência que temos de fazer muito mais e melhor e é com essa exigência que nos caracteriza que vamos continuar a trabalhar nos limites para dar já uma melhor resposta no próximo sábado.

Não possuí direitos para inserir comentários

Futsal Porto Distrital

Copyright © 2016. All Rights Reserved.