Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Caxinas só sabe vencer
ADCR Caxinas continua invicto após dez jornadas, assim como o GDR Retorta em sua casa está intransponível, cinco jogos, cinco vitórias, sendo estas as únicas duas equipas que estão invencíveis em casa.

ADCR Caxinas lidera isoladíssimo com onze pontos de vantagem sobre o GDR Retorta é segundo classificado, no entanto continua como pior segundo classificado das seis séries do continente e assim continua fora dos lugares de apuramento para a segunda fase de apuramento para a 3ª Fase de Campeão e a respetiva manutenção após o fim desta primeira fase.
Quem caiu na classificação foi o CD Aves/Emeserv.pt e Arsenal C. Parada que foram ultrapassados por ACR Lordelo, que venceu na receção aos avenses e depois da derrota dos arsenalistas em Vila do Conde diante o líder.
Quanto ao GD Viso já não vence há três jogos e foi mesmo apanhado na classificação pelo seu adversário de jogo (ADC S. Mateus) na sexta posição, mas não são os únicos com onze pontes, já que o Freixieiro não conseguiu ser a primeira equipa a roubar pontos em casa do Retorta.
Cada vez mais só na última posição está a União SC Paredes que na receção ao penúltimo classificado, voltou a perder e ficar agora a oito pontos do CA Mogadouro.
Fica a saber como foram os jogos desta última jornada:
O Lordelo recebeu o Aves (foto) e venceu por 3-1. Uma primeira parte equilibrada. O Lordelo a jogar simples, prático e objectivo, chegou ao intervalo a vencer por 1-0. Para a segunda parte verificou-se uma entrada em falso do Aves, a defender muito mal, adivinhando-se o golo dos visitados, o que veio a acontecer com naturalidade. O Aves rectificou e conseguiu equilibrar vindo a chegar ao 2-1 por intermédio de Káka quando faltavam 6/7 minutos para o jogo terminar. Os visitantes ainda arriscaram jogar 5x4 mas, já na parte final, os visitados recuperaram uma bola e fizeram o 3-1 final. Vitória justa da melhor equipa em campo.
O Caxinas recebeu o Arsenal e venceu por 4-2. Primeira parte de claro domínio do Caxinas que aproveitou bem os vários erros defensivos (e também ofensivos) do Arsenal para chegar ao intervalo a vencer por 3-0. Na segunda parte os visitados optaram por uma postura mais de controlo do jogo mas mesmo assim chegaram ao 4-0. O Arsenal melhorou na parte final e chegou ainda ao 4-2. Vitória justa da melhor equipa em campo.
O Paredes recebeu o Mogadouro e perdeu por 3-4. Um jogo em que ambas as equipas exploraram as transições rápidas. O Paredes adiantou-se no marcador aos doze minutos através de Pena, aos dezasseis minutos o Mogadouro chegou ao empate, Pena deu nova vantagem aos visitados aos dezanove minutos, resultado com que se chegou ao intervalo. Na segunda pare o jogo foi mais intenso. O Mogadouro empatou aos vinte e oito minutos mas Carlos deu nova vantagem ao Paredes aos trinta e um minutos. O Mogadouro arriscou jogar 5x4 e chegou ao 4-4 e a quatro segundos do final fez o 3-4 final. Num jogo equilibrado o resultado final tem de se aceitar, se bem que o empate talvez fosse o resultado mais justo.
O Retorta recebeu o Freixieiro e venceu por 3-2. Uma primeira parte em que os visitados estiveram melhor chegando ao intervalo a vencer por 2-0. Para a segunda parte o Freixieiro esteve melhor, sempre com mais bola, enquanto os visitados optavam por transições rápidas. O Retorta chegou ao 3-0. Sensivelmente a meio da segunda parte o Freixieiro passou a jogar 5x4 com Ervilha a jogar como guarda-redes avançado. Nesse sistema criaram dificuldades aos visitados. Fizeram o 3-1 e o 3-2 a cerca de dois minutos do fim e podiam ter empatado a segundos do final tendo o guardião Zé evitado o empate com uma defesa extraordinária. Pela atitude demonstrada em campo a vitória dos visitados tem de se aceitar.
O S. Mateus recebeu o Viso e venceu por 3-2. Uma primeira parte equilibrada com as equipas a chegarem ao intervalo empatadas 1-1 (golo de Kukes para o Aves). Na segunda parte o S. Mateus adiantou-se no marcador logo aos dois minutos na sequência de uma livre resultante de um atraso ao guarda-redes. Aos trinta e três minutos, numa transição rápida, o S. Mateus chegou aos 3-1 mas, pouco depois, o Viso faz o 3-2 por intermédio de Ricardo Santos. A partir daqui o Viso foi com tudo para cima do adversário, tendo várias oportunidades para marcar, mas alguma infelicidade, nomeadamente o envio de duas bolas aos postes, impediu que chegasse ao golo. Vitória do S. Mateus que tem de se aceitar mas, sobretudo pelo que fez na parte final, o empate seria o resultado mais justo.

Introdução: Responsabilidade da Redação.