Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Líder Caxinas ainda mais isolado
O Mogadouro recebeu o S. Mateus e perdeu por esclarecedores 3-10.
Os visitantes entraram fortes e chegaram ao intervalo a vencer por 0-3. Depois 1-3, 1-4, 2-4. Aqui os visitados começaram a jogar 5x4, sem sucesso, já que o resultado passou para 2-9. Depois 3-9 e 3-10. Vitória indiscutível.

O Póvoa recebeu a Ordem e perdeu por tangencial 2-3.
A Ordem abriu o marcador, os visitados empataram mas os visitantes chegaram ao 1-2, resultado que se verificava ao intervalo. Para a segunda parte o Póvoa entrou fortíssimo e dominou completamente a partida desperdiçando várias oportunidades de golo e enviando duas bolas aos postes. Aproveitou bem o facto do atleta da ordem Nelson ter sido expulso por acumulação de amarelos para empatar a partida. Mas, no último segundo, os visitantes chegaram ao 2-3 num remate de Palhacinho, em que o guardião Brioso foi mal batido. Resultado que o Póvoa não merecia, sobretudo pelo que fez na segunda parte.
O Freixieiro recebeu o Viso. Um empate a oito golos foi o resultado final. Um jogo com muitos golos, muitos deles facilitados por uma exibição menos conseguida dos guarda-redes das duas equipas. Marcha do marcador: 0-1, 1-1, 1-2 (quando o Freixieiro jogava com menos um atleta por expulsão de João Leite ao festejar o seu golo que tinha dado o 1-1); 2-2 (resultado ao intervalo), 3-2, 3-3, 3-4, 4-4, 4-5, 6-5, 6-7, 7-7, 7-8 e 8-8 a poucos segundos do final por intermédio do guardião Poeta. Resultado que se ajusta ao que se passou na quadra.
No grande jogo jornada o líder Caxinas recebeu o Arsenal. Venceu por 3-0.
Foi uma primeira parte intensa, em que o equilíbrio prevaleceu, até com alguma superioridade dos visitantes que estiveram muito perdulários. O golo inaugural surgiu apenas quando faltavam dois minutos e cinquenta e no ve segundos para terminar a primeira parte e foi conseguido na transformação dum livre de dez metros. Pouco depois o Arsenal podia er chegado à igualdade, também na transformação dum livre de dez metros, mas o guardião Telmo, encarregado da marcação do livre, permitiu a defesa a Avila. A equipa de arbitragem mandou repetir o livre e, desta vez, Telmo rematou ao poste. Num final de primeira parte alucinante o Caxinas ainda desperdiçou um livre de dez metros a vinte e oito segundo do final e o Arsenal,  sete segundos do fim, uma oportunidade incrível, quase em cima da linha de baliza.
Na segunda parte o Arsenal entrou forte, enviando uma bola ao poste (num livre) aos três minutos e vinte segundos, mas, pouco depois (4'37'') num erro defensivo, o Caxinas chegou ao 2-0. O 3-0, por Van Der Kellen, chegou aos oito minutos e dezoito segundos. Tudo pareceu ficar decidido. E ficou. A agravar a situação registou-se a expulsão de João Campelo (11'16'') por acumulação de amarelos.
Nos últimos minutos a equipa de Pedro Azevedo, como grande equipa que é, tentou tudo, arriscou o 5x4, mas não era o dia do Arsenal.
No final aceita-se a vitória dos visitados, ainda que por números exagerados.
O jogo "Granja Vs Paredes" é alvo de análise em separado na rubrica “O jogo que eu vi”.  

Não possuí direitos para inserir comentários

Futsal Porto Distrital

Copyright © 2016. All Rights Reserved.