Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Vitória por números que não correspondem às dificuldades
Embora o resultado possa transparecer uma vitória tranquila, não foi isso que efectivamente se passou, pois foi um jogo equilibrado até a AF Porto marcar o terceiro golo, aos trinta e um minutos de jogo.

Assistimos a um jogo com duas partes distintas, a primeira parte muita equilibrada, embora com algum ascendente da AF Aveiro, que chegou à vantagem no marcador aos dez minutos de jogo, fruto da maior posse de bola e de alguma intranquilidade que pareciam evidenciar alguns jogadores da AF Porto.
O quadro agravou-se aos catorze minutos de jogo, quando atingiu a quinta falta e poderia piorar aos quinze minutos quando sofreu um livre de dez metros.
Na baliza, Diogo Saraiva defendeu esse livre e parece que este momento transmitiu confiança ao resto da equipa, que passou a ter mais posse e circulação de bola, mais rápida e sempre mais perto da zona de finalização. Fruto desses bons cinco minutos conseguiu chegar ao empate no último minuto, por João Mendes, na transformação de um livre de dez metros.
Ao intervalo com certeza foram efectuadas as correcções necessárias e a equipa apresentou-se para a segunda parte mais tranquila, com outra atitude, a um melhor nível e numa rápida transição consegue o segundo golo por Nuno Ribeirinha, aos nove minutos desta segunda parte. Ao ficar em desvantagem a equipe da AF Aveiro abanou e passados dois minutos sofre o terceiro golo, por Rui Moreira, num remate da zona dos dez metros. A partir daí a equipa da AF Aveiro nunca mais foi a mesma e embora desperdiçasse uma boa oportunidade para reduzir o marcador, foi a AF Porto que acabou por, naturalmente, marcar o quarto golo por Rui Moreira e o quinto golo por Gonçalo Lourenço, aos dezassete e dezanove minutos, respectivamente.
Vitória justa embora por diferença excessiva.
De realçar o facto do guarda-redes Nuno Costa que se lesionou no jogo de ontem não ter sido utilizado.

A equipa da AF Porto jogou com:
1: Diogo Saraiva; 2: Rui Moreira; 3: André Cardoso; 4: Bernardo Silva; 5: Pedro Ferreira; 6: Miguel Freitas; 7: Gonçalo Lourenço (Faustino); 8: Nuno Ribeirinha; 9: Hugo Ferreira; 10: João Mendes; 11: Miguel Cunha e 12: Nuno Costa.

Marcha do marcador: 0-1; 1-1 (João Mendes); 2-1 (Nuno Ribeirinha); 3-1 (Rui Moreira); 4-1 (Rui Moreira) e 5-1 (Gonçalo Lourenço).

Agradecimentos: Carlos Ilídio

Sobre o jogo o Treinador
Pedro Ferreira disse o seguinte:
Hoje encontramos um adversário de características diferentes do primeiro jogo.
A selecção Aveiro entrou na partida com linhas subidas à procura do nosso erro na primeira fase de construção, nem sempre as melhores decisões, mas as bem tomadas da nossa parte causavam boas oportunidades de golo.
No nosso entender fomos crescendo ao longo do primeiro tempo esse muito disputado fisicamente, por momentos nem sempre bem jogado por ambas as seleções, mas com uma entrega muito elevada.

No Segundo tempo, tivemos a capacidade de perceber melhor as movimentações do nosso adversário anulando as suas intenções ofensivas, juntando a isto trabalhamos mais a bola a nosso favor, mais pacientes, mais objetivos, demonstrando uma grande qualidade de jogo.

Ao fim de duas jornadas os números da AF Porto são os seguintes:
Golos marcados: 10 (5º Melhor Ataque)

Golos Sofridos: 5 (4ª Melhor Defesa)
Comportamento Geral: 3ª Posição

Goleadores:
* João Mendes (4 Golos)

* Rui Moreira (2 Golos)
* Bernardo Dias (1 Golo)
* André Cardoso (1 Golo)
* Nuno Ribeirinha (1 Golo)
* Gonçalo Lourenço (1 Golo)

Apenas três selecções vitoriosas e uma delas é, a AF Porto
Ao fim de dois dias de competição, apenas três selecções obtiveram vitórias nos dois jogos realizados, AF Madeira, AF Algarve e AF Porto.

Destaca-se a derrota (1-3) da AF Lisboa perante a AF Setúbal que na jornada inaugural fora derrotado (0-4) pela AF Angra do Heroísmo, e esta empatou a quatro nesta jornada diante a AF Viana do Castelo, que vinha de uma goleada sofrida (10-2) diante a AF Beja, e estes perderam (1-4) com a AF Coimbra que vinha de uma derrota diante a AF Madeira.
Ou seja a partir desta jornada é impossível alguém afirmar o favoritismo de seja de quem for perante os resultados vistos nesta segunda jornada.
No positivo, temos a AF Madeira com duas vitórias sobre selecções continentais, AF Coimbra e AF Évora, sendo a para da AF Santarém as selecções com mais golos marcados (12) e tem a segunda melhor defesa a par da AF Ponta Delgada, seu próximo adversário com quatro golos sofridos e apenas ultrapassado pela AF Algarve.
E é esta selecção que também conta só com vitórias os jogos realizados, AF Bragança e AF Leiria, e sendo a melhor defesa com apenas um golo sofrido, tem apenas o sétimo melhor ataque a par da AF Angra do Heroísmo e AF Castelo Branco com oito golos. A AF Algarve vai nesta terceira jornada defrontar a AF Beja.
A AF Porto nesta terceira jornada vai defrontar a sua congénere da AF Leiria que vem de uma derrota (3-0) diante a AF Algarve depois de ter entrado a vencer (6-2) diante AF Ponta Delgada.
Os números após a segunda jornada, dizem que há, seis selecções que ainda não conheceram o sabor da derrota, para além das três invictas já indicadas, outras três contam com uma vitória e um empate, AF Braga, AF Angra do Heroísmo e AF Viseu, nove selecções contam com uma vitória e um empate, cinco com um empate e uma derrota e duas, AF Vila Real e AF Guarda ainda não conquistaram qualquer ponto.
Metade das selecções presentes em Braga ao fim destas duas jornadas conseguiram marcar mais do que sofreram, duas delas sofreram tantos como aqueles que marcaram, e nove têm um score negativo sofrendo mais do que marcaram.

Fique com os resultados e a próxima jornada:

Não possuí direitos para inserir comentários

Futsal Porto Distrital

Copyright © 2016. All Rights Reserved.