Nem todas as decisões que a FPF toma são corretas, mas há solidariedade entre clubes
Trago este tema aos assuntos do dia, porque infelizmente os serviços federativos nem sempre decidem e interpretam correctamente sobre os regulamentos das competições e isto não aconteceu apenas uma vez no passado, acontece no presente e acontecerá no futuro e a pergunta é, será que os clubes se interessam, se o regulamento de competições é cumprido mesmo não lhes afectando directamente?

A resposta é simples: se o que a Federação decidiu, mesmo não achando correto, como não me afecta não tenho nada a ver com isso.
Ou seja, há falta de solidariedade entre clubes quando os assuntos apenas afectam um ou dois, afinal a decisão para esses clubes até os deixam mais descansados e numa situação menos desconfortável, por quê se chatearem?
Para muitos não interessa se a lei é cumprida, o que interessa é se de algum modo tiram benefício da mesma, se tiram óptimo (mesmo irregular) a FPF é uma jóia, mas se lhe calham a eles, a FPF anda a brincar com quem trabalha seriamente.
Este meu artigo vem para esclarecer que o futsal-porto-distrital.com, quando intervém não é só para defender os clubes portuenses, mas sim que os regulamentos possam ser cumpridos de uma forma correta e sem atropelos, já o fizemos antes na defesa de clubes portuenses e continuaremos a fazer, mesmo que possa prejudicar um ou outro clube portuense, o que conta é que o regulamento é seja cumprido.
Lamento que após quarenta e três anos de Abril de 74, ainda exista pessoas com o pensamento que o PODER MANDA, SE DIZEM QUE É ASSIM É PORQUE É… Onde está a nossa acção participava de forma a dar a entender ao PODER que nem sempre o que dizem está correto e têm de mudar, é certo que se for apenas o clube, os dois ou três clubes que podem sair prejudicados por uma interpretação enviusada do regulamento, pouca força têm, mas se todos os outros ou a grande maioria se pronunciar dizendo que não é esse o entendimento dos clubes o PODER tem que os ouvir mesmo que não queiram.
E com isto chego novamente à nota informativa nº 383/16-17/FPF de 10/04/2017, que vem dizer que afinal a segunda fase Manutenção e Descida, é disputada por 55 clubes (por desistência do GF Empregados do Comercio)... onde se esquecem de referenciar alíneas do regulamento de competições e que alteram por completo aquilo que aconteceu na época passada com a desistência da Casa do FC Porto de Meda na Série “C”, vejamos o que se passou.
Na época 2015/16, a Casa FC Porto de Meda, participou na Série “C” e desistiu na primeira fase ao fim da primeira volta ou seja ainda na primeira fase o que contribuiu para que na segunda fase a Série “C” tivesse apenas sete clubes por desistência do referido clube e por os dois primeiros classificados se apurarem para a 2ª Fase de apuramento para a 3ª fase de Apuramento de Campeão, enquanto a Série “E” teve nove equipas porque apenas teve uma equipa a participar na 2ª Fase de Apuramento para a 3ª Fase de Apuramento de Campeão.
O que aconteceu na época passada…
Na Série “C” foi considerado que a Casa do FC Porto de Meda por ter desistido na primeira fase contabilizou uma descida nesta série faltando encontrar apenas os outros dois clubes que perfaziam as três descidas e o quinto classificado estaria no crivo para saber quem teria o pior coeficiente de ponto entre os primeiros clubes acima dos três últimos classificados de cada série.
Na série “E” como tinha nove clubes quem foi ao crivo do coeficiente de pontos foi o sexto classificado.
Ou seja, a desistência na primeira fase foi preponderante para as contas finais da segunda fase e bem, já que os clubes vão para a segunda fase com metade dos pontos conquistados na primeira fase e por isso não é possível desassociar a primeira fase da segunda fase, porque muito do que se fizer na segunda fase tem muito em conta do que se fez na fase anterior.
Qual o entendimento para esta época…
Na Série “E” desistiu na primeira fase o GFE Comércio, e tal como acontecera na época anterior foi nesta série que foi encontrado o pior segundo classificado e que não teve acesso à 2ª Fase de Apuramento para a 3ª Fase de Apuramento de Campeão, e após o fim da primeira fase e para o início da 2ª Fase esta série tal como as restantes por coincidência ficaram todas com oito equipas.
O entendimento é que ao contrário da época anterior e porque verificaram que todos os grupos tinham oito equipas sem se darem ao trabalho de verificar as razões para tal (acho eu) decretaram que a Série “E” teria de descer quatro equipas, ou seja o GFE Comércio e os três últimos classificados da 2ª Fase, que entraram nesta fase com metade dos pontos conquistados da primeira fase.
Agora vejamos, eu sei que quem advoga não gosta dos “ses” mas não vou entrar nessa dos “ses”, o que eu vou dizer é o seguinte:
1º: Numa prova com mais do que uma fase, onde na fase posterior conta com parte dos pontos conquistados da fase anterior, não se pode desassociar uma fase da outra, como aconteceu e bem na época passada;
2º: Ao decretar isso não tem em conta o regulamento de competição, onde fala dos três últimos classificados e não de posições explícitas como referem na nota nº 383/16-17/FPF onde indicam (6º, 7º e 8º), porque o regulamento prevê na segunda fase séries com um número diferentes de equipas;
3º: A Série “E” ao abrigo de regulamento, nesta segunda fase tem nove equipas, contabilizando e bem a desistência do GFE Comercio, assim como aconteceu na época passada na Série “C” onde foi contabilizada como descida a desistência da Casa FC Porto de Meda e esta também aconteceu na primeira fase.
4º: Por ter acontecido uma desistência na época 2015/16 e ter havido um entendimento (correto), não podem alterar esse entendimento na época seguinte, só por causa do número de equipas que constituiu as série da segunda fase, com pena de os clubes estrem a competir sem saber afinal com que regulamentos estão a competir.
5º: O Regulamento prevê a descida de três equipas por série mais o clube que obtiver a pior pontuação acima destes, até porque não havendo desistências na primeira fase, as séries ficarão sempre deste modo:
* 5 Série com oito equipas
* 1 Série com nove equipas
* Série Açores com sete equipas

Agora para aqueles que esta nota informativa só tem a haver com os clubes afectados fica aqui este pensamento de Bertolt Brecth um dramaturgo, romancista e poeta alemão.

Primeiro levaram os negros
Mas não me importei com isso
Eu não era negro

Em seguida levaram alguns operários
Mas não me importei com isso
Eu não era operário

Em seguida prenderam os miseráveis
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou miserável

Depois agarraram uns desempregados
Mas como tenho emprego
Também não me importei

Agora estão me levando
Mas já é tarde
Como não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo.

Ou seja, mesmo que esta medida não prejudique o vosso clube e têm o mesmo entendimento que o que está correto foi como decorreu na época 2015/16, envie um email a discordar da nota informativa nº 383/16-17/FPF de 10/04/2017 e que não é este o entendimento que o clube tem e devem repor a verdade desportiva para que todos os clubes possam competir de igual forma, porque hoje é o vizinho, amanhã pode ser a vossa equipa. 

Comentários  

#1 josé Oscar Moneiro Rosa 16-04-2017 14:52
Para que conste a JUVENTUDE DESPORTIVA DE AGUAS SANTAS já tinha enviado mail à FPF nesse sentido. Abraço.

Não possuí direitos para inserir comentários

Futsal Porto Distrital

Copyright © 2016. All Rights Reserved.